Nano, Micro e Minichip: quais são as principais diferenças?

O chip é uma parte fundamental do funcionamento dos celulares. É ele que concede à pessoa um número de telefone, para que ela possa fazer ligações e, mais recentemente, utilizar a internet móvel, com o uso das tecnologias 3 e 4G.

À medida que os aparelhos telefônicos foram evoluindo, também houve mudanças no chip do telefone celular. Ele mudou de tamanho, tornando-se compatível com novos modelos, atendendo às novas exigências do mercado.

Porém, ao ouvir os nomes Mini, Micro e Nanochip, você sabe diferenciá-los corretamente? Se esses termos causam confusão para você, não se preocupe. Abaixo, entenda melhor o que eles significam e quais são as diferenças entre eles.

Evolução do Cartão SIM

Também conhecido como chip, o Cartão SIM (ou SIM Card) é dado ao cliente quando a linha de uma operadora é contratada. Com o passar dos anos, a entrada para os Cartões SIMs foi mudando, sendo que os novos aparelhos possuem um compartimento menor para colocar o chip.

Foi a partir dessa diferença de tamanho que surgiu as denominações Mini, Micro e Nano. O primeiro é o Cartão SIM tradicional, antigo no mercado, tendo surgido no início da utilização da tecnologia nos celulares.

As medidas dele são de 15 mm de largura por 25 mm de altura.

A primeira evolução foi o Microchip, presente em modelos intermediários e avançados no mercado atual. O tamanho dele é menor, com dimensões de 15 mm de altura por 12 mm de largura.

Tanto no MicroSIM, quanto no MiniSIM, a espessura do chip é a mesma: 0,76 mm.

Contudo, isso mudou com o Nanochip, a versão mais recente dessa evolução. Ele é o menor de todos, tendo 12,3 mm de altura por 8,8 mm de largura, além de 0,67 mm de espessura. Os modelos de smartphones mais recentes utilizam essa versão.

Adaptador de chip

Os celulares alteraram as dimensões e as configurações, mas os consumidores não mudaram de chip na mesma velocidade, ficando com versões desatualizadas.

Para impedir problemas, caso a pessoa precise trocar de celular, devido a alguma emergência, as fabricantes de cartões desenvolveram um mecanismo para auxiliá-las.

Os adaptadores de chip contam com um design diferenciado. Eles podem ser desmembrados em três partes, cada uma delas com o tamanho adequado para as versões listadas acima, para que se encaixem adequadamente no SIM do aparelho utilizado.

Você também tem a opção de reencaixar o Cartão SIM principal no corte maior, se for preciso.

As marcações dos tamanhos mini, micro e nano são claramente visíveis no Cartão SIM principal, o que facilita a hora de escolher qual parte deve ser desmembrada. Verifique com sua operadora se ela disponibiliza essa opção para garantir maior comodidade.

Celulares compatíveis

Alguns dos modelos de celulares atuais já são fabricados para lidar com os tamanhos diferentes dos chips. A entrada do Cartão SIM deles é construída de modo que o dispositivo utilizado pela pessoa, seja Mini, Micro ou Nanochip, possa ser encaixado. Basta colocar o cartão no espaço apropriado, indicado na entrada.

Isso facilita bastante a hora de escolher um modelo que atenda às suas necessidades e se adeque ao tamanho do seu chip. O Moto G9, da Motorola, o Redmi 9, da Xiaomi, e o A11, da Samsung, são alguns exemplos de smartphones atuais que comportam os tamanhos diferentes.

Outra vantagem que surgiu ao longo dos anos e ainda é utilizada hoje é o fato dos aparelhos serem dual chip, ou seja, eles podem comportar dois SIMs, com dois números de telefone, ao mesmo tempo, o que traz mais comodidade para o usuário na hora da escolha.

Deixe comentário